Select language

Tratamento para Osteoporose



O qausência de cálcio ue é Osteoporose?

A osteoporose é definida como uma doença metabólica ocasionada pela diminuição da densidade mineral óssea e, consequentemente, com um maior risco de fraturas vertebrais e não vertebrais (devido à formação de ossos mais finos e porosos). É uma doença silenciosa e, por isso, o seu primeiro sinal pode aparecer em uma fase mais avançada. Por isso é extremamente fundamental realizar exames preventivos, para que ela seja diagnosticada a tempo de se evitar as fraturas.

O osso é uma estrutura viva em constate processo de renovação, que acontece diariamente por toda a vida. O processo de formação óssea é complexo e envolve dois sistemas principais: os osteoblastos que são células responsáveis pela formação óssea e os osteoclastos que são células responsáveis pela reabsorção óssea. A matriz óssea é formada por complexos minerais com cálcio.

Ao longo do tempo a absorção óssea aumenta quando comparado à formação óssea e, devido a isso, os ossos tornam-se mais porosos e perdem a resistência. Perdas ósseas menores são denominadas de osteopenia e perdas ósseas maiores são denominadas de osteoporose. A osteoporose é uma doença muito vinculada ao envelhecimento. Pode manifestar-se em ambos os sexos, porém acomete principalmente mulheres na pós-menopausa. De acordo com as estatísticas recentes, a osteoporose acomete um homem para cada quatro mulheres e aproximadamente uma a cada três mulheres vai apresentar uma fratura óssea durante a vida.

As principais fraturas da osteoporose são as fraturas das vértebras por compressão e as fraturas do colo do fêmur, punho e costelas.

Agende sua consulta

Existem alguns fatores correlacionados com a maior incidência de osteoporose, tais como o tabagismo, sedentarismo, consumo de álcool, baixo índice de massa corpórea, histórico familiar da doença, raça branca e asiática, menopausa prematura, baixa exposição à luz solar, baixa ingesta de cálcio e vitamina D.

A densitometria óssea é o exame padrão ouro para o diagnóstico de osteoporose. Esse exame avalia a densidade mineral óssea do colo do fêmur e da coluna lombar e realiza comparação com a densidade mineral óssea de pessoas na mesma faixa etária e mais jovens. Por meio dessa comparação se estabeleceu três resultados: normal, osteopenia e osteoporose (a depender da densidade mineral óssea quando comparada a de pacientes na mesma faixa etária).

As principais formas de prevenção devem ser tomadas na infância e baseiam-se na:

  • Realização de exercícios físicos que ajuda a tonificar a musculatura e previne contra quedas;
  • Exposição solar para fixação de vitamina D: a vitamina D não está presente na maioria dos alimentos, portanto sua obtenção deve ser realizada por meio da exposição solar ou do uso de suplementos vitamínicos
  • Ingestão adequada de alimentos ricos em cálcio como, por exemplo, leite, queijos, iogurtes e em menor quantidade nas verduras escuras, no gergelim, no feijão branco e no tofu).

Vitamina D no combate a Osteoporose 

A vitamina D apresenta diversas funções, porém a mais importante é a promoção da absorção de cálcio da dieta. Consequentemente, é utilizada para a prevenção e tratamento da osteoporose (responsável pela manutenção dos valores normais de cálcio no sangue), pois assegura a absorção de cálcio pelo intestino.

Existem duas formas de vitamina D: a vitamina D2 (ergocalciferol – origem vegetal) e a vitamina D3 (colecalciferol – origem animal). Ambas são formas inativas que serão, posteriormente, convertidas em calcitriol (responsável pela absorção do cálcio, pela regulação da formação óssea e por sua reabsorção).

Densitometria ÓsseaÉ conhecida como a vitamina da luz do Sol por se obtida principalmente pela exposição da pele ao Sol (é um hormônio produzido na pele a partir do colesterol quando a pele é exposta aos raios solares).

A ingestão exclusiva de cálcio não é suficiente para prevenir fraturas por osteoporose. Dessa forma, a suplementação com vitamina D ajuda a reduzir a perda de massa óssea e, consequentemente, o risco de fraturas.

Denosumabe

O denosumabe é um anticorpo monoclonal que diminui a diferenciação, ativação e sobrevida dos osteoclastos (células responsáveis pela redução da massa óssea).

Dessa forma, o denosumabe diminui a incidência de fraturas vertebrais e de colo de fêmur (apresenta aumento da densidade mineral óssea). É comprovadamente uma medicação que protege os ossos de fraturas e aumenta a densidade mineral óssea, fazendo com que o osso fique mais rígido.

A dose recomendada de Denosumabe é de 60 mg (1 ampola) via subcutânea a cada 6 meses. É a única medicação utilizada para tratamento de osteoporose pós-menopausa com apenas 2 aplicações ao ano. Como não é administrada por via oral, não causa efeitos colaterais gástricos (p.ex.: gastrite).

Estudo traça perfil de mulheres brasileiras com risco de desenvolver osteoporose

10 MAI 2012

Um estudo conseguiu mapear o perfil de mulheres brasileiras com risco de desenvolver osteoporose. Para isso, pesquisadores da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) em parceria com a Fundação Instituto de Pesquisa e Estudo de Diagnóstico por Imagem (FIDI), analisaram 8 mil exames de densitometria óssea em pacientes durante 3 anos. A pesquisa elegeu como principais fatores de risco para surgimento da doença o baixo peso, a idade avançada, cor, histórico familiar de fratura de fêmur, tabagismo, alcoolismo e uso crônico de cortisona. Levantamento também revelou que 30% das mulheres examinadas tinham osteoporose, enquanto 20% estavam a um passo da doença, ao apresentar osteopenia

Entre os países com maior índice de desenvolvimento social e econômico da América Latina, o Brasil era o único que ainda não contava com uma ferramenta capaz de identificar com precisão pessoas com maior risco de apresentar osteoporose e osteopenia.

Para chegar aos resultados, uma equipe de médicos que atua na disciplina de Reumatologia da Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo desenvolveram o Sapori, que consiste basicamente em uma espécie de software matemático, cujo funcionamento é muito simples: primeiro o programa recolhe informações de mulheres na pré, peri e pós-menopausa e depois calcula, automaticamente, qual delas têm maior predisposição a desenvolver doenças relacionadas à baixa densidade óssea.

“O SAPORI coleta informações como idade avançada, baixo peso, cor da pele, altura, hábitos alimentares, doenças associadas, ingestão de medicamentos, tabagismo e consumo de bebidas alcoólicas. Para cada um desses fatores clínicos de risco é atribuído um peso de relevância, baseado em nossa população de mulheres. A partir desses dados, o sistema calcula um escore final que indica se a pessoa pertence ou não a um grupo de risco e se tem indicação de realizar o exame densitometria óssea”, explica a reumatologista Vera Szejnfeld, médica responsável pela Central de Laudos da FIDI.

Fonte: ISaúde

Vídeo com orientações sobre Osteoporose

Esquema - Osteoporose

 

Esquema ilustrando a matriz óssea de uma mulher com Osteoporose

Quer ler mais sobre Osteoporose? Separamos alguns textos interessantes para você:

1) Fraturas por osteoporose ocorrem mais do que câncer de mama no Brasil – Clique aqui para ler mais sobre o assunto

Fonte: Portal Brasil

2) Brasileiras devem aumentar consumo de leite para prevenir osteoporose – Clique aqui para ler mais sobre o assunto

Fonte: Portal Brasil

3) Saúde vai estimular combate à osteoporose desde a infância – Clique aqui para ler mais sobre o assunto

Fonte: Portal Brasil

4) Quedas – Clique aqui para ler mais sobre o assunto

Fonte: Portal Brasil