Select language



trabalho de parto

Uma das dúvidas que passam pela cabeça da maioria das gestantes e chegam até os consultórios dos médicos obstetras, principalmente na fase final da gravidez, é sobre os famosos sinais de trabalho de parto. Apesar de começarem bastante discretos e, muitas vezes, do nervosismo e ansiedade da mãe prejudicarem a sua percepção, os sinais de trabalho de parto são bem evidentes.

Os indícios do corpo sobre o momento do parto podem aparecer por volta da 37ª semana de gestação (período chamado a termo), sendo mais comum surgirem a partir de 40 semanas, e são caracterizados por alterações no organismo da futura mamãe para a recepção do bebê, tais como:

  • Contrações uterinas;
  • Perda do tampão mucoso;
  • Rompimento da bolsa.

Entenda mais sobre como ocorre cada uma dessas alterações:

Contrações uterinas

Considerado um dos principais sintomas de um possível trabalho de parto, essas contrações são diferentes das demais que a gestante apresenta ao longo da gestação, também chamadas de contrações de Braxton-Hicks ou contrações de treinamento.

As contrações de trabalho de parto são ritmadas e quanto menor for o intervalo de tempo entre uma e outra, significa que o momento do bebê nascer está mais próximo. Elas iniciam como cólicas fortes, localizadas em baixo ventre, e muitas mulheres apresentam uma sensação de pontada nas costas.

segurança na hora do parto

Uma consequência das fortes contrações é o enrijecimento doloroso da barriga, que define o início do trabalho de parto e serve também para diferenciar os tipos de contrações, caso elas ainda estejam espaçadas, mas já representem indícios do trabalho de parto.

Vale lembrar que é extremamente importante a gestante saber caracterizar e definir o intervalo de tempo entre as contrações. O trabalho de parto é mais prolongado entre as pacientes que estão na primeira gestação, tendendo a acelerar em pacientes multíparas (com histórico de outros partos).

obstetras explicam sinais do trabalho de parto

Perda do tampão mucoso

Com a função de impedir a entrada de bactérias ou qualquer outra substância na bolsa de líquido amniótico ao longo de toda a gestação, o tampão mucoso é expelido pelo organismo da gestante quando ela está prestes a entrar em trabalho de parto (isso não é uma regra, mas, em geral, é o que acontece).

Apesar de ser um dos principais indícios de que a hora do nascimento do bebê está chegando, a gestante não precisa se desesperar quando acontecer a saída do tampão, visto que ela pode ocorrer dias antes do parto, mas já pode ficar atenta aos demais sinais – principalmente às contrações uterinas.

Rompimento da bolsa

O sinal mais clássico e evidente de que a mulher está entrando em trabalho de parto e, talvez, o mais aguardado pelas gestantes, é o rompimento da bolsa. Porém, em alguns casos, isso pode acontecer apenas na fase final do trabalho de parto. Ele é caracterizado quando a membrana que envolve o bebê é rompida, fazendo com que o líquido amniótico vaze.

Quando ele ocorre, a gestante deve ser levada à maternidade e o médico obstetra que acompanhou o caso deve ser avisado imediatamente. No entanto, vale lembrar que após o rompimento da bolsa amniótica, nem sempre a gestante entrará em trabalho de parto de forma imediata. Pode ser que ela leve horas até realmente entrar em trabalho de parto. Por isso, cada caso deve ser avaliado individualmente para saber em qual período exato do trabalho de parto que a paciente se encontra.

Independentemente de ser considerado um sinal de trabalho de parto ou não, sempre que a gestante perceber qualquer alteração no organismo ou no comportamento do bebê ainda dentro da barriga, ela deve buscar a ajuda do especialista em obstetrícia que está acompanhando o desenvolvimento da sua gestação. Nada deverá ser ignorado ou remediado por conta da própria gestante. Apenas o médico poderá confirmar se as alterações são normais e se representam o início de um possível trabalho de parto.

segurança na hora do parto





Deixe um comentário