Select language



videolaparoscopia

De acordo com dados obtidos pela Secretaria de Saúde, cerca de sete mulheres se submetem diariamente a procedimentos cirúrgicos para tratamento da endometriose na cidade de São Paulo.

O motivo da alta prevalência dessa doença em nossa população permanece desconhecido, porém, sabe-se que alguns fatores podem contribuir para a formação e o desenvolvimento da mesma, tais como fatores hormonais, genéticos e imunológicos.

A cirurgia para o tratamento da endometriose geralmente é feita por meio da videolaparoscopia, que tem como objetivo cauterizar os focos de endometriose e retirar as aderências formadas pela doença.

Nos casos mais graves (endometriose profunda) pode ser necessária a retirada de partes do órgão que tenham sido danificadas pela doença, como por exemplo: ovário, útero, bexiga e os intestinos.

A videolaparoscopia é uma cirurgia minimamente invasiva, não precisando de grandes cortes externos na pele. Geralmente são realizadas pequenas incisões, praticamente imperceptíveis, na altura do umbigo e da virilha.

O procedimento deve ser realizado sob anestesia geral, em ambiente hospitalar e com uma equipe altamente especializada no tratamento da endometriose. Ao fazer a cirurgia é importante saber que:

  • O procedimento não dura muito mais do que duas horas em casos de endometriose mínima a moderada. Nos casos de endometriose profunda, a duração da cirurgia pode se estender;
  • O tempo mínimo de internação hospitalar é de 24 horas;
  • A recuperação completa após a cirurgia para endometriose pode variar de 7 a 14 dias;
  • É necessário seguir os cuidados indicados pelos médicos.

Contudo, antes de direcionar a paciente para uma cirurgia, é necessário que o médico ouça a opinião da paciente sobre sua vontade de engravidar ou não.

Caso ela tenha vontade em ser mãe, a retirada dos ovários e do útero não deve ser realizada, a menos que sua vida esteja em risco.

4 dúvidas comuns sobre a cirurgia da endometriose:

  1. A histerectomia cura a endometriose? MENTIRA

Muitas pessoas se confundem ao acharem que a doença esta apenas acometendo o útero. A endometriose é uma doença inflamatória que acomete toda a cavidade pélvica e a retirada completa do útero não cura a doença, pois muitas vezes a paciente pode apresentar outros focos de endometriose pela cavidade abdominal.

Esses implantes de tecido endometrial acabam crescendo à custa de hormônios produzidos pelos ovários. Portanto, a histerectomia é o último recurso a ser realizado, não devendo ser feito de forma rotineira para o tratamento de endometriose.

  1. A endometriose é uma doença sem cura? VERDADE

Infelizmente, a endometriose ainda não tem cura, mas existem tratamentos e cirurgias para controlar seus sintomas e evitar a progressão da doença.

Na grande maioria dos casos, pacientes que são submetidas a tratamentos cirúrgicos acabam apresentando altos índices de melhora dos sintomas, voltando a apresentar uma excelente qualidade de vida.

  1. A única maneira de se ter certeza sobre a existência da endometriose é através do resultado da biópsia obtida pela videolaparoscopia? VERDADE

Existem exames que podem levantar a suspeita da doença, porém, a certeza diagnóstica é obtida apenas por meio do resultado anatomopatológico (biópsia).

Geralmente, a biópsia é realizada durante a videolaparoscopia. Essa cirurgia serve tanto para diagnosticar como tratar a doença, retirando amostras dos focos e implantes endometrióticos.

Estas amostras são obrigatoriamente enviadas ao laboratório, a fim de que seja realizado um exame anatomopatológico que confirmará a presença ou não da endometriose.

  1. A endometriose pode ser diagnosticada e tratada por qualquer médico? MENTIRA

Não, não são todos os médicos familiarizados com a doença a ponto de diagnosticá-la e tratá-la da maneira correta. A endometriose é uma doença que pode apresentar variadas sintomatologias, sendo que o seu diagnóstico deve ser realizado por um médico especialista em endometriose.

Se você ainda apresentar dúvidas sobre o assunto, a clínica BedMed está disposta a esclarecer todos os seus questionamentos!

Agendar




15 comentários para “Como é realizada a cirurgia para tratamento da endometriose?”

  • Elida Tabosa disse:

    E a minha e a endrometriose profunda.

  • Jalice a lima disse:

    Estou passando por esse problema e gostei do esclarecimento sobre a endometriose.

  • Luciana disse:

    Olá,m e chamo Luciana tenho 37 anos não tenho filhos e a meses descobrir por ressonância endometriose,mas infelizmente na minha cidade não tem médicos capacitados,ja passei por vários e sempre falam coisas diferentes…….
    Um diz que atingiu o intestino outro diz que não,estou entrando em desespero.
    Me ajudem por favor.

    • BedMed disse:

      Olá, Luciana! Estamos à disposição para atendê-la em nossa clínica. Pedimos que, por gentileza, a Sra. ligue para um de nossos telefones: (11) 5044.1000 / 5531.3125 / 5532.1555. Aguardamos seu contato!

  • Katia disse:

    Eu fiz uma cirurgia de endometriose na parede abdominal com correção de tela. Nos exames d imagem, mostravam apenas 5 cm de nódulo, quando foi aberto o local do corte, segundo a médica, havia nódulo em toda a região da frente da barriga. Ainda segundo ela, foi retirado 15 cm d músculo é colocado uma tela d 7 cm. Tem mais de 60 dias e eu ainda me sinto estranha.
    Eu gostaria d saber se posso ficar com sequelas? Se vou poder pegar peso normalmente? Se vou poder praticar atividades físicas? Correr por exemplo

  • glece feitosa borges disse:

    Me chamo gleicy fiz vários exame ginecológico deram tudo normal…Fiz endovaginal fiz histerossalpingografia Fiz Papanicolau e todos deram normal….semana que vem vou fazer um ressonancia magnetica pelve endemetriose…..até agora mais exame deu normal porem tava sentindo dores na relação dificilmente mas tava….tb p evacuar dificilmente mas tava…porém estranho depois que fiz histerossalpingografia minhas dores sumiu….minha ginecologista ta achando que pode ser endemetriose…serar dotores?????

  • Helida lima disse:

    Fui dionosticada com endenomiose,endometriose pelvica (anexo esqerdo)e um nódulo miomatoso, é necessário que seja a retirada do meu útero? E um dos meus ovários está irregular esqrdo? Já estou tomando remédio há 60 dias tem melhorado as dores fortes.
    Estou com tdo pronto pra cirugia,pois tinha vontade de engravidar! Aguardo uma resposta, obrigada

    • BedMed disse:

      Olá Helida. Infelizmente não podemos informar esse tipo de informação por esse meio de comunicação 😕
      Mas você pode obter essa e outras informação pelo link 😉 http://bedmed.com.br/contato/

    • Larysssa disse:

      Hoje faz 59dias q fiz a minha retirada de útero a cerca de dois anos venho passando por esses ecomondos, tenho duas filhas ambas foram cesariana a cassula hoje com quatro anos , a minha última cesariana fiz a lacqueadura tb dai em diante que tive todas essas irregularidades na menstruação agora que o médico viu através de um exame ultra vaginal tb apareceu um sisto no ovário esquerdo.
      Então vem a pergunta será que isso já acontecia a mais tempo ou será que foi depois da lacqueadura, embora quando nova mestruava até 8dias tb e cólica sempre tive

  • Vanessa Gonçalves Natal disse:

    Olá,bom dia! Há exatamente 5 dias passei por um sufoco, tinha em vista uma consulta no meu ginecologista, até então fui fazer essa consulta, o ginecologista afirmou pelo um exame de ultrassom que adquiri essa doença( endometriose), me disse que o procedimento seria simples um pequeno corte na superfície e assim a retirada desse nódulo, mas não foi exatamente realizada com sucesso, durante a cirurgia que foi realizada em pleno consultório com uma anestesia local, achei meio negligência fazer uma cirurgia assim dentro de um simples consultório só com uma anestesia local, sem uma observação e um cuidado mais intenso assim começou o procedimento, conclusão não foi retirado o nódulo pois está um pouco mais profundo,foi negligência pois um bom médico deveria fazer o exame bem detalhado antes de começa um procedimento cirúrgico e depois falar que não seria possível a retirada desse nódulo, conclusão vou ter que esperar a recuperação da tolice do médico e ainda passar pelos sintomas da doença, gostaria de opiniões sobre esse meu caso!!!!

    • Débora disse:

      Que coisa mais sem cabimento! Estou chocada!
      Ele jamais poderia ter feito isso com você, endometriose é coisa séria, tem que ser muito bem estudado o caso, ver se há foco agregado a algum órgão, qual o tamanho e profundidade, qual a melhor forma de ser realizada a retirada e o tratamento. Eu estou a 2 anos num drama mexicano com a endometriose. Eu desconfiava cerca de 4 anos atrás, mas minha gineco falava que não era tão fácil ter e que era coisa da minha cabeça – como se a endometriose desse no cérebro, mas eu sabia melhor que ninguém todas as dores que acompanhava não só a chegada, mas também antes e depois do sangramento, 10 dias antes meus peitos inchavam a ponto de eu ter um sutiã só pra esses dias porque os outros não cabiam, e era reforçado porque eu sentia muita dor, muita mesmo, eles ficavam muito febris, avermelhados até, tinha colicas que eu literalmente rolava na cama e nenhum remédio fazia parar, e eu desmaiava tamanha enxaqueca que eu tinha, eu não abria a janela do meu quarto, ficava com um saco de gelo o dia todo, tomava mil remédios e andava de óculos de sol dentro de casa. Até que conheci outra gineco, que também achou que não tinha nada mas disse que se eu fizesse questão ela fazia a solicitação da bendita da ultra para rastreamento, que dói feito um trem porque ela roda tudo que é canto da sua pélvis. Não deu outra, tinha um foco que era preocupante mas não emergente. Ok. Mas passamos por uns problemas na família e isso acabou ficando de lado não por ter acabado as dores, mas era num momento que tinha que ser feito mil coisas então eu fazia com dor mesmo, porém essa nova médica pediu pra eu trocar de anticoncepcional pra ver se melhorava os sintomas e tratar SOP, e esse me ajudou muito, o peito fica dolorido mas nada perturbador, enxaqueca leve, cólicas menstruais são bem poucas, sinto mais é a dor terrível da endometriose. Esse ano com tudo mais tranquilo passei numa dezena de médicos que falaram pra eu deixar pra resolver isso quando eu tivesse mais velha, depois dos 30, porque diabos eu vou resolver uma doença que afeta minha vida pra daqui mais de 7 anos? Até que encontrei a médica mais linda do mundo que está procurando desesperadamente fazer a cirurgia acontecer o mais rapido possivel, sem falar que ela ficou horrorizada porque eu realmente tenho o foco da ultra (daS porque eu tive que refazer pra ver o que aconteceu um ano depois) mas a médica que realizou o exame, não encontrou um nódulo enorme que está atrás do meu útero, que é palpável e visível a olho nu, ela pediu até licença e deu uma apertadinha nele pra eu dizer se era onde doía ou não, eu só levantei a mão por não conseguir respirar de dor.
      Corra desse gineco pela sua saúde, da uma pesquisada e vê se tem algum que é especializado no assunto, eu sei que nos dias atuais tudo isso é muito caro e eu só estou fazendo porque ainda tenho 23 anos, no dia que eu fizer 24 anos eu não faço mais parte do plano de saúde familiar da empresa que meu pai trabalha, é pago, mas é bem mais barato, e a cirurgia não temos que pagar nada! Por isso a correria da dra. Se não fosse minha insistência nisso, eu ainda seria uma frescurenta que reclama de cólica e fica fazendo corpo mole com a desculpa de menstruação – isso porque eu já passei mal várias vezes e inclusive cheguei desmaiada e inconsciente no hospital tamanha dor na barriga e enxaqueca.
      Se cuida, e não deixa isso pra depois não, é algo que se tratado inicialmente e mantendo o tratamento pode ser muito controlável, mas a cada dia que se passa sem o tratamento necessário é um dia que ela piora!

  • MARA SILVIA SOARES disse:

    Ola!!estou com endrometriose profunda
    E necessariamente fazer essa cirugia..como estou com mioma e meu utero esta crecendo.e ja sou ligada .nao pretendo ter mas filhos.possoso tirar utero e ovario .?

    • BedMed disse:

      Mara, você deve procurar um auxílio médico para entender melhor a situação! Caso tenha interesse em agendar uma consulta, ligue para os telefones (11) 5044-1000 ou (11) 5531-3125 ou (11) 5532-1555! Atenciosamente, Equipe BedMed

Deixe um comentário