Select language



muco cervical hostil

O muco cervical consiste em um fluído produzido pelo organismo feminino que ajuda o espermatozoide a sobreviver no útero e alcançar o óvulo nas Trompas de Falópio. No entanto, uma condição conhecida como muco cervical hostil pode prejudicar esse processo, impedindo a concepção.

O muco é natural e próximo da ovulação ele torna-se mais elástico, transparente e escorregadio, facilitando a locomoção do espermatozoide dentro do útero e tornando o ambiente mais receptivo para que eles continuem vivos por alguns dias, aumentando as chances de fecundação.

No caso de mulheres afetadas pelo muco cervical hostil o que ocorre é que o muco torna-se muito ácido ou denso, o que prejudica a mobilidade dos espermatozoides e também pode causar a morte deles, devido ao ambiente tornar-se inóspito.

Essa condição, entretanto, é bastante polêmica e muitos especialistas em reprodução humana não acreditam que ela exista de fato. Isso porque o exame realizado para verificar a ocorrência consiste no pós-coital, realizado após a relação sexual, com o objetivo de identificar se existem espermatozoides vivos útero da mulher.

O que ocorre é que 70% das mulheres inicialmente diagnosticadas com muco cervical hostil conseguiram engravidar naturalmente depois, o que tornou tanto o exame quanto a condição incertos para a Medicina.

Devido esses fatores, o muco cervical hostil tornou-se uma incerteza entre os especialistas em reprodução humana e, normalmente, é relacionado com casos de infertilidade sem causa aparente, na qual os exames são inconclusivos.

Com isso, muitos profissionais indicam alguns tipos de tratamento que estejam relacionados com a condição. Conheça alguns deles a seguir.

Como tratar o muco cervical hostil?

Uma vez que a própria condição é incerta, o tratamento também pode variar de acordo com os hábitos da paciente e questões como outras causas de infertilidade associadas. O primeiro passo para um diagnóstico adequado é realizar uma consulta com o ginecologista ou com o especialista em reprodução humana.

Entre as dicas mais acessíveis para tratar o muco cervical hostil está um consumo adequado de água todos os dias, cerca de dois litros, para melhorar a hidratação do organismo e a quantidade e qualidade do muco. Uma alimentação balanceada e rica em legumes, verduras e frutas também pode ser benéfica para a qualidade do muco cervical.

A hostilidade do muco também pode estar relacionada com inflamações e infecções no trato reprodutivo feminino. Nesses casos, indica-se o uso de antibióticos e também alguns cuidados com a higiene íntima, como uso de calcinhas de algodão que melhoram a transpiração e reduzem a proliferação de bactérias e também uso de produtos íntimos mais suaves e com ph neutro.

A paciente que sofre de infertilidade sem causa aparente e suspeita-se de muco cervical hostil também pode optar por tratamentos de fertilidade que auxiliem na concepção. Entre eles está a inseminação intra-uterina que consiste na coleta dos espermatozoides do parceiro e que são injetados diretamente na cavidade uterina, reduzindo o percurso necessário para que ocorra a fecundação.

A fertilização in vitro, na qual os gametas dos dois parceiros são coletados e a fecundação ocorre em ambiente laboratorial também é uma alternativa às pacientes com muco cervical hostil. O mais indicado é procurar um ginecologista de confiança para dar início ao diagnóstico e ao tratamento.





Deixe um comentário