Select language

Teste de Gravidez



confirmação da gravidez Teste de gravidez e alterações no organismo materno

Realizar um teste de gravidez pode causar uma série de alterações no psicológico da mulher, especialmente se ela não confia no resultado obtido. A maioria dos testes de gravidez vendidos em farmácia refere uma grande acurácia após o primeiro dia do atraso menstrual ou, em alguns casos, até mesmo antes do atraso menstrual. Para a maioria dos resultados, entretanto, o ideal é aguardar uma semana após o período de atraso menstrual para realizar esses testes.

A gonadotrofina coriônica humana (hCG) corresponde a um hormônio produzido pela placenta que é composto por duas subunidades: alfa e beta. A subunidade beta é específica da gonadotrofina coriônica, ou seja, apenas a placenta pode produzi-la. Uma das funções da subunidade beta é inibir a involução do corpo lúteo e, consequentemente, manter a gestação viável. A gonadotrofina é produzida rapidamente após a implantação do óvulo fertilizado no útero.

Durante o início da gestação, o nível de BHCG (fração beta da gonadotrofina coriônica humana) sanguíneo cresce rapidamente – geralmente duplica sua dosagem a cada 48 horas. Diversos testes de gravidez podem detectar a presença desse hormônio na urina após o período de uma semana do atraso menstrual, entretanto, a precisão do teste pode ser menor caso o exame seja realizado anteriormente. No primeiro trimestre da gestação, seus valores aumentam e atingem níveis máximos em torno da nona semana. Além de ser útil no diagnóstico da gravidez, a dosagem do BHCG é útil na identificação de morte ovular, da gestação ectópica e para o diagnóstico e acompanhamento das gestações molares.

Coleção Gestante

Vale recordar que a elevação inferior ao esperado ou a diminuição no início da gestação dos valores quantitativos de BHCG impõem a suspeita de gravidez anormal, como por exemplo, gestação ectópica ou abortamento espontâneo iminente. Contrariamente, elevações acentuadas dos níveis de BHCG podem estar relacionadas à gestação múltipla ou à neoplasia trofoblástica gestacional.

É extremamente importante confirmar a gestação de forma imediata após a realização do teste de gravidez urinário. Procure um serviço médico  para realizar a dosagem de BHCG de forma quantitativa (numérica), pois esse exame apresenta uma sensibilidade maior em detectar a gestação quando comparado ao exame urinário.

Após a constatação dos níveis positivos de BHCG, a paciente deverá iniciar as consultas de pré-natal e realizar uma ultrassonografia por via transvaginal para datar de forma adequada a gestação. De uma forma geral, os níveis de BHCG servem para guiar quais serão os achados detectados na ultrassonografia:

  • Valor de BHCG = 1.000 mUI/ml = identifica-se o saco gestacional (corresponde à 4° semana de gestação);
  • Valor de BHCG = 7.200 mUI/ml = identifica-se a vesícula vitelina (corresponde à 5° – 6° semana de gestação);
  • Valor de BHCG = 10.800 mUI/ml = identifica-se o embrião com batimentos cardíacos ( corresponde à 6° – 7° semana de gestação).
Agende sua Consulta

O teste de gravidez pode confirmar alguns sintomas que indicam uma gestação

Existem alguns sintomas durante o início da gestação que podem ser facilmente identificados e devem auxiliar no momento do diagnóstico da gestação:

  • Náuseas: constituem o principal sintoma no início da gestação (principalmente no primeiro trimestre). Geralmente ocorrem pela manhã e tendem a melhorar ao longo do dia. Sua etiologia permanece desconhecida, porém acreditam que ocorra devido ao aumento dos níveis de BHCG;
  • Aumento da frequência miccional: as gestantes apresentam aumento do volume urinário devido ao aumento do fluxo sanguíneo durante a gravidez. Além disso, é comum ocorrer vontade de urinar à noite (noctúria). Sempre é importante afastar o diagnóstico de infecção urinária caso a paciente apresente dificuldade para esvaziar a bexiga ou urina de odor forte e coloração escurecida;
  • Aumento da sensibilidade mamária: as mamas das gestantes podem aumentar de tamanho e começar a apresentar dor ou sensibilidade;
  • Fadiga: a causa exata não é conhecida. A elevação dos níveis de progesterona pode explicar o quadro de cansaço crônico, típico do início da gravidez.

Além disso, existem alguns sinais durante o início da gestação que também podem auxiliar o diagnóstico:

  • Alterações mamárias: as aréolas tornam-se pigmentadas e ocorre o surgimento de glândulas mamárias sebáceas hipertrofiadas (tubérculos de Montgomery). Habitualmente ocorre o aumento da circulação venosa superficial (rede de Haller), congestão e dor nas mamas;
  • Alterações cutâneas: surgimento de cloasma na face (hiperpigmentação da pele) e linha nigra no abdome (aumento da concentração de melanina na linha alba);
  • Alterações vulvares: vulva com coloração violácea e com aumento da congestão.

O mais importante é realizar a datação da gestação de forma correta e precoce. Dessa forma, a periodicidade das consultas de pré-natal será embasada na data provável do parto e a solicitação dos exames ultrassonográficos terá como base a idade gestacional estimada pela ultrassonografia precoce ou pela data da última menstruação (a depender da regularidade do ciclo menstrual da paciente). A introdução do ácido fólico deve ser feita no início da gestação (de preferência pelo menos três meses antes da gestação em pacientes que têm o desejo de engravidar e iniciam as consultas pré-concepcionais).

Coleção Gestante

– A duração média de uma gravidez gira em torno de 280 (40 semanas completas) a 286 dias (40 semanas mais 6 dias) a partir do primeiro dia do último ciclo menstrual (em pacientes com ciclos menstruais regulares);

– O útero aumenta de volume durante a gravidez, porém ele começa a ser palpado pelo exame abdominal por volta de 12 semanas de gravidez;

– A percepção dos movimentos fetais pela mãe se dá em torno de 18 semanas de gestação, porém não é uma regra geral, ou seja, algumas mães só começam a notar a movimentação do feto em períodos mais tardios da gestação;

– A data provável do parto é apenas um parâmetro utilizado para guiar os momentos próximos ao parto e não indica necessariamente a data em que acontecerá o nascimento do bebê;

– Em mulheres com ciclos menstruais regulares (duração em média de 28 dias), a data da última menstruação auxilia o diagnóstico da data provável do parto, porém em mulheres com ciclos menstruais irregulares, a data provável do parto é baseada pela ultrassonografia precoce;

– Os testes urinários de farmácia auxiliam o diagnóstico de gestação, porém o exame confirmatório da gestação é obtido por meio do teste sanguíneo e da realização da ultrassonografia precoce.