Select language

Parto Humanizado



escolha do parto na hora do nascimento

 A opção do parto humanizado deve ser planejada com o seu médico

O parto é um dos momentos mais importantes na vida da mulher e por isso é de extrema importância que exista uma comunicação entre médico e paciente para elaborar a melhor maneira de recepcionar a vinda do seu bebê.

As pacientes devem realizar consultas de pré-natal rotineira com coletas de exames laboratoriais e avaliações ultrassonográficas periódicas para melhor avaliação da vitalidade materno-fetal e durante esse período deve elaborar um vínculo de confiança com seu médico.

Devido ao aumento da tecnologia e aos diversos mitos envolvendo o parto, a cesárea se tornou uma grande aliada para as pacientes que temem a realização do parto normal e isso trouxe uma série de repercussões negativas devido ao aumento da morbidade materno-fetal (aumento do risco de infecção operatória, aumento do desconforto respiratório do recém-nascido, diminuição do vínculo materno-fetal logo após o nascimento e etc.).

A opinião da paciente é de extrema importância para a programação do parto humanizado. Cada qual tem as suas preferências e, desde que não estejam contra-indicadas do ponto de vista médico, essas devem ser respeitadas. A paciente pode e deve ter o parto respeitando a sua fisiologia.

O parto humanizado não deve ser visto como um novo produto ou uma nova técnica elaborada, mas sim como um processo fisiológico natural do binômio mãe e filho.

Há cerca de alguns anos surgiu um movimento estimulando o ressurgimento do parto normal de forma humanizada. Nesse molde de parto a paciente deveria ter o parto da forma mais adequada possível dentro da sua realidade (geralmente em um ambiente calmo, sem intervenções médicas desnecessárias). A vivência da gestação e do parto é parte inerente da vida de uma mulher e ela deve ser a protagonista do seu próprio parto.

Agende sua Consulta

A realização do parto humanizado

Para a realização de um parto humanizado a primeira etapa é a mais importante: escolher um médico obstetra de sua confiança que esteja apto e respeite a sua opção. A partir dessa etapa você poderá elaborar e programar suas atividades para o grande e tão esperado dia do parto.

Estar preparada para o parto humanizado também é parte importante de todo esse processo. Participar de grupos de apoio e apresentar um planejamento de parto (discutido em conjunto com seu médico e demonstrando todas as suas preferências com relação ao parto) são elos importantes e fundamentais para o sucesso do parto. A mulher deve ser interpretada como personagem principal na história e deve ter seus direitos e sua autonomia respeitados. Os profissionais envolvidos no parto nada mais são do que ajudantes no processo fisiológico que irá se desenrolar de forma natural.

Humanizar o parto significa dar condição humana ao parto. Não é apenas permitir que a paciente tenha o parto na posição que prefere, evitar manobras traumáticas ou permitir que ela deambule pela sala de parto. Humanizar o parto é sinônimo de resgatar o protagonismo exercido pela mulher e não proibir a experiência dela ter o seu próprio parto.

Conceitos de partos humanizados 

Existem alguns conceitos que podem e devem ser discutidos em consulta médica de pré-natal:

  1. Fortalecimento da musculatura do assoalho pélvico: existem diversos exercícios da musculatura da região pélvica que auxiliam o fortalecimento e alongamento da região perineal, auxiliando a gestante no período expulsivo do parto.
  2. Aquisição de conhecimento técnico e experiências pregressas de outras mulheres: a parte fundamental para o parto é o preparo psicológico da gestante frente ao parto. Adquirir conhecimentos e vivenciar experiências pregressas são coadjuvantes no sucesso ao parto humanizado.
  3. Internação hospitalar: é crucial que a paciente opte pela internação em um hospital que respeite o mecanismo fisiológico do parto e que, portanto, esteja preparado para recepcionar o parto de uma forma digna e especial. De preferência o parto deve ser realizado em um ambiente calmo e com uma atmosfera agradável para gestante e para o bebê. Evite locais com muito barulho e com muita iluminação.
  4. Preparo para o momento do parto: durante o trabalho de parto as contrações uterinas poderão causar incomodo a gestante e é fundamental que ela esteja ciente que existem maneiras não farmacológicas para aliviar esse sintoma. O banho de água morna, a variação das posições, a realização de massagem e o suporte psicológico de seu acompanhante são algumas medidas que podem ser utilizadas.
  5. Analgesia no parto: a utilização de analgesia no momento do parto deve ser opcional e quem dita o momento de realizá-la é a própria gestante. O parto humanizado não apresenta uma regra e a utilização da analgesia pode ou não acontecer. Como já foi dito anteriormente, a paciente é protagonista da história e, portanto, sua decisão deve ser respeitada.Coleção Gestante
  6. Episiotomia: é sinônimo do corte da musculatura do assoalho pélvico para facilitar a saída da cabeça fetal. Não deve ser realizada rotineiramente e, caso seja indicada, deve ser avisado a mãe primeiramente.
  7. Clampeamento tardio do cordão umbilical: nada mais justo do que aguardar o término da pulsatilidade do cordão umbilical para clampea-lo. O transporte de nutrientes para o bebê deve ser respeitado.
  8. Presença do recém-nascido em tempo integral na sala de parto: aumenta a afetividade do binômio mãe e filho e, portanto, deve ser sempre estimulado.
  9. Amamentação sob livre demanda: amamentação exclusiva nos primeiros 6 meses de vida do recém nascido.

O parto pode e deve ter uma única protagonista: você. Não deixe que algumas atitudes corriqueiras te afastem do seu real interesse. Venha conhecer a nossa clínica. BedMed: muito mais que saúde.

Como saber que estou em trabalho de parto?

Coleção Gestante