Select language



Rastreamento do câncer de colo do útero - BedMed

O que é o câncer de colo do útero?

BedMed - Rastreamento do câncer de colo do útero É um tumor que se desenvolve no colo do útero, que é a porção mais externa do útero e se localiza no fundo da vagina. É o segundo câncer ginecológico mais comum nas mulheres no Brasil e para 2010 são esperados mais de 18.000 casos novos.

Por que fazer o Papanicolaou?
O Papanicolaou (ou colpocitologia oncótica) é um exame de rastreamento de câncer do colo do útero.
Esse tipo de câncer se caracteriza por um bom prognóstico quando descoberto em uma fase inicial e alta mortalidade se descoberto já em estágio avançado. Sendo assim, o Papanicolaou pode salvar vidas, já que permite detecção e tratamento precoce da doença.

Como é feito o Papanicolaou?
É feito um exame pélvico com o espéculo e colhido material de dentro do colo do útero com uma escova e uma espátula. Esse material é colocado em uma lâmina de vidro e enviado para análise do patologista. Para a maioria das mulheres o exame é indolor e em uma minoria pode haver desconforto passageiro.

Quais os cuidados que eu devo tomar antes de fazer o exame?
De preferência não estar menstruada. Nos dois dias antes de fazer o exame não ter relação sexual (nem com preservativo), não usar ducha ou creme vaginal.

Quem deve fazer o exame?
Anualmente em todas as mulheres com vida sexual ativa. Após dois ou três exames seguidos normais pode-se fazer o exame a cada três anos. Gestantes também podem fazer o exame.

Quais são os fatores de risco?
O fator de risco mais importante para se ter câncer de colo do útero é a infecção pelo HPV (Papiloma vírus humano). Cerca de 80% das mulheres são infectadas por algum tipo de HPV, mas o sistema imune é capaz de combatê-lo antes que ele possa causar algum dano.

Existem mais de 100 tipos desse vírus, mas a maioria não causa câncer. Os subtipos 16 e 18 são os de alto risco para câncer do colo do útero.

Como o HPV é transmitido?
Ele é transmitido pelo contato pele a pele, incluindo relação sexual, sexo oral, sexo anal ou qualquer contato entre a pele e a área genital. Existe uma vacina para alguns subtipos de HPV, no entanto mesmo quando alguém toma a vacina é preciso continuar colhendo o Papanicolau.

A maioria das pessoas que são infectadas pelo HPV não apresenta sinais ou sintomas. Geralmente demora vários anos para que a infecção pelo HPV evolua para câncer.

Existe vacina para esse vírus?
Existem duas vacinas disponíveis no mercado: GardasilR e CervarixR. A GardasilR previne infecção pelos subtipos 6, 11, 16 e 18 e a outra vacina (CervarixR) previne infecções pelos subtipos 16 e 18 e parcialmente contra 45 e 31. Ambas as vacinas precisam de três doses para ser efetiva.

Quem deve tomar a vacina?
Nos Estados Unidos GardasilR é recomendada para qualquer menina entre 9 e 26 anos, e a CervarixR para mulheres de qualquer idade.

Ambas atuam melhor se forem tomadas antes de iniciar a atividade sexual. A vacina pode ser aplicada mesmo se você já foi infectada, pois protege contra os outros subtipos.

Ainda não se sabe por quanto tempo a vacina protege, mas alguns estudos mostram proteção por pelo menos cinco anos. Vale lembrar que essa vacina no Brasil está disponível em poucos centros de referência.

Dra. Isabela Carlotti





Deixe um comentário