Select language



endometriose

A endometriose é considerada a principal causa de infertilidade feminina nos dias de hoje. Ela é caracterizada pela presença de tecido endometrial fora da cavidade uterina, acometendo os demais órgãos da região pélvica, como as trompas uterinas e os ovários, por exemplo.

De acordo com especialistas, cerca de 30 a 40% das mulheres que sofrem de endometriose são diagnosticadas com infertilidade e, entre as mulheres que apresentam dificuldades para engravidar, 50% delas são portadoras dessa enfermidade. Mas afinal, qual é a verdadeira relação entre a endometriose e a infertilidade feminina?

tecido com endometriose

Como a endometriose pode afetar a fertilidade feminina?

A endometriose pode afetar a fertilidade feminina de diversas maneiras, a depender do local de implantação do tecido endometrial e da severidade do acometimento. No geral, as alterações da anatomia do aparelho reprodutivo feminino, causadas pela endometriose, são o principal fator que leva a paciente a apresentar dificuldades para engravidar.

A endometriose promove um processo inflamatório crônico, visto que quanto mais menstruações a mulher tiver, maior quantidade de tecido endometrial será implantado na região pélvica, aumentando a área afetada e a intensidade do problema.

Em muitos casos, o processo inflamatório da endometriose leva à formação de aderências pélvicas, gerando alterações da anatomia pélvica, como por exemplo: torções das trompas uterinas – dificultando o encontro do gameta masculino (espermatozoide) com o gameta feminino (óvulo).

Além disso, a endometriose também pode gerar alterações na receptividade do endométrio, impedindo a implantação do embrião e, consequentemente, uma possível gestação.

Caso a doença esteja em estágios mais avançados, é possível que ocorra o acometimento dos ovários, gerando a formação de endometriomas (cistos ovarianos que possuem tecido endometrial em sua composição), que interferem diretamente no processo de foliculogênese (formação do óvulo feminino).

Vale lembrar que, quanto mais severa for a endometriose, maior será a probabilidade da paciente apresentar infertilidade e que, mesmo em estágios iniciais, a endometriose pode promover dificuldades na obtenção de uma gestação espontânea.

É possível engravidar sendo portadora de endometriose?

A avaliação do potencial fértil de uma paciente portadora de endometriose depende de vários fatores e deve sempre ser analisada por um médico especialista.

O tratamento deve levar em consideração o quanto a endometriose afeta a qualidade de vida da paciente e o grau de acometimento da doença. É a partir disso que a terapêutica deve ser elaborada.

No geral, a melhora do potencial fértil após a realização da cirurgia (videolaparoscopia) é bastante significativa e apresenta bons resultados.

Em casos mais leves, é possível realizar o tratamento cirúrgico para remoção dos focos de endometriose ou até mesmo administrar medicações que bloqueiam a proliferação do tecido endometrial implantado de forma anômala na cavidade abdominal.

Em casos mais severos, o médico especialista deverá avaliar se há indicação de realizar procedimento cirúrgico ou se a paciente é candidata a realização de um tratamento de reprodução assistida.

Agendar




Deixe um comentário