Select language



pre natal não invasivo

O teste pré-natal não invasivo é um exame realizado ao longo do acompanhamento do pré-natal com o intuito de identificar possíveis alterações cromossômicas nas células do bebê e, consequentemente, malformações fetais ou síndromes, como a Síndrome de Down, por exemplo.

Também chamado de panorama teste ou NIPT-Panorama (Non-Invasive Prenatal Testing), o teste pré-natal não invasivo recebe esse nome porque necessita apenas da coleta de duas amostras de sangue da gestante, após a nona semana de gestação, para avaliar a estrutura cromossômica do bebê.

Isso porque, ao longo da gravidez, o DNA do bebê também circula pelo organismo da mãe. Sendo assim, o exame não representa nenhum risco de vida à gestante ou à criança.

Caso o teste dê positivo, ou seja, aponte chances de a criança ter alguma malformação cromossômica, o especialista em obstetrícia que acompanha o caso deve solicitar exames complementares, como o cariótipo convencional por amniocentese ou biópsia do vilo corial, por exemplo, para um diagnóstico definitivo.

Quando o diagnóstico pré-natal não invasivo é indicado?

Em todos os casos que o casal tiver histórico familiar de síndromes o exame é indicado. No entanto, existem outras situações em que os médicos obstetras orientam a realização do teste, tais como:

  • Gestantes acima dos 40 anos, devido à incidência de casos de aneuploidias (embriões que apresentam alterações cromossômicas) ser maior em mulheres que engravidam nessa faixa etária;
  • Histórico pessoal ou familiar de doenças ou alterações genéticas por parte de, pelo menos, algum dos pais;
  • Casos anteriores de abortamento de repetição;
  • Alterações diagnosticadas no resultado de ultrassonografias obstétricas ou morfológicas.

Mas existem alguns casos em que a realização do panorama é contraindicada. Os principais deles são:

  • Gestação com menos de 9 semanas, devido ainda não haver material genético do bebê suficiente na corrente sanguínea materna;
  • Mulheres que receberam transplante de sangue ou medula óssea recentemente;
  • Gravidez obtida por meio de um tratamento de reprodução assistida que inclua a doação de óvulos;
  • Consanguinidade dos pais, entre outros.

O teste pré-natal não invasivo é válido para gestações múltiplas, no entanto, caso o resultado seja positivo, não permite especificar qual dos bebês apresenta a síndrome ou se ela acomete a mais de uma criança, sendo necessário recorrer a um teste invasivo para a confirmação.

pré-natal não invasivo

Quais os benefícios em realizar o panorama?

O teste pré-natal não invasivo é extremamente confiável, visto que proporciona 99% de precisão no resultado. Dessa forma, ele evita que a gestante realize testes invasivos para o diagnóstico de malformações cromossômicas desnecessariamente, já que esse tipo de avaliação apresenta risco de aborto em cerca de 1 caso para cada 100 realizados.

Ele também permite descobrir o sexo da criança com a mesma certeza da sexagem fetal e é o único teste realizado com o objetivo de avaliar a estrutura cromossômica do bebê que consegue isolar o DNA da criança, impedindo interferências do material genético da mãe.

Além disso, ele serve como uma confirmação do estado de saúde do bebê, o que representa uma forma de assegurar uma gestação saudável e uma maneira de o médico obstetra diagnosticar precocemente qualquer anomalia e tomar as medidas ideais para cada caso.

Agendar




Deixe um comentário