Select language



fertilidade masculina

Os especialistas consideram um casal infértil quando o mesmo mantém relações sexuais frequentes, sem fazer uso de nenhum método contraceptivo, pelo período de um ano e não apresentam sucesso na obtenção da gravidez. Diferentemente do que muitas pessoas acreditam, 1/3 das causas de infertilidade é de origem masculina, 1/3 das causas de origem feminina e 1/3 das causas de origem mista (tanto masculina como feminina).

O diagnóstico da infertilidade é feito após uma série de avaliações clínicas e de exames subsidiários que permitem identificar a etiologia do problema. As principais causas correlacionadas variam desde alterações hormonais até maus hábitos adquiridos ao longo da vida pessoal, tais como o tabagismo, consumo excessivo de álcool, entre outros.

Embora esses hábitos sejam prejudiciais a ambos os parceiros, eles podem causar um impacto maior à fertilidade do homem do que da mulher.

Como os maus hábitos podem prejudicar o potencial fértil masculino?

Engana-se quem pensa que a infertilidade masculina é causada exclusivamente por doenças ou alterações genéticas. Existem alguns hábitos de vida e, até mesmo, traumas, que podem afetar a produção (quantidade) e a qualidade dos gametas masculinos (espermatozoides).

Dente as condições que podem comprometer a fertilidade do homem, podemos destacar:tabagismo

  • Tabagismo: por meio de uma pesquisa realizada por especialistas israelenses, foi possível confirmar que os fumantes apresentam altas concentrações de cotinina, uma substância derivada da nicotina. Os pacientes que apresentaram uma elevada dose dessa substância foram identificados com alterações no espermograma e, consequentemente, menores potenciais férteis. Essa pesquisa também analisou que, mesmo nos casos em que a mulher não fuma, se o homem é fumante, a taxa de fertilidade do casal é de, aproximadamente, 44,9%;
  • Uso abusivo de bebidas alcoólicas: consumir bebidas alcoólicas em excesso pode levar à redução da testosterona, diminuindo o desejo sexual e comprometendo a fertilidade do casal;
  • Uso de anabolizantes: os anabolizantes induzem o organismo a diminuir a produção dos hormônios masculinos, afetando a produção dos gametas. Além disso, os esteroides podem causar o surgimento de câncer de fígado ou de testículo, infarto, aumento da pressão arterial, entre outras condições que afetam a saúde do homem e, consequentemente, a fertilidade dele;
  • Poluição: a qualidade do ar também pode influenciar na fertilidade dos homens. Os pacientes que respiram ar com maior índice de poluição apresentam alta concentração de radicais livres no sangue, o que influencia e impacta negativamente na qualidade dos espermatozoides (maior probabilidade de estresse oxidativo pelo aumento dos radicais livres);
  • Exposição constante a ambientes tóxicos: alguns ambientes tóxicos podem alterar a fertilidade masculina indiretamente. Os principais exemplos são profissões que envolvem atividades realizadas em ambientes de calor excessivo, que exijam o contato com metais pesados, radiação, substâncias tóxicas ou solventes orgânicos. Os trabalhadores que convivem nesses ambientes devem fazer acompanhamento médico constante a fim de verificar possíveis alterações no padrão seminal.

Existem casos em que a infertilidade masculina é causada por traumas, que podem decorrer de acidentes, como pancadas, boladas, chutes ou batidas. Muitas vezes vistos como comuns, esses acontecimentos podem causar traumas nos testículos ou em demais estruturas do sistema reprodutor masculino, levando à obstrução dos ductos deferentes ou alterando a produção de espermatozoides.

Portanto, quando um casal nota alguma dificuldade para engravidar, mesmo que, aparentemente, não exista nenhuma alteração física em nenhum dos parceiros, é ideal procurar a ajuda de um especialista em reprodução humana e monitorar a situação, a fim de detectar possíveis problemas de fertilidade e tratá-los da maneira correta.

Agendar




Deixe um comentário