Select language



Como tratar os cistos das glândulas de Bartholin

As glândulas de Bartholin ficam localizadas na região externa da genitália feminina e têm como função a produção de muco, que umidifica e lubrifica o canal vaginal, principalmente durante o ato sexual.

De acordo com dados estatísticos, aproximadamente 2% das mulheres em idade fértil apresentam uma obstrução dos ductos que realizam a drenagem natural do muco produzido pelas glândulas e, conforme essa obstrução aumenta, forma-se o chamado cisto da glândula de Bartholin.

Portanto, a causa mais recorrente para o aparecimento dos cistos e abscessos da glândula de Bartholin deve-se à obstrução dos ductos. Essa, por sua vez, pode ser provocada pela mudança na consistência do muco produzido, obstrução congênita ductal ou trauma local.

Outras causas frequentes da inflamação e surgimento de cistos na glândula se devem a prática de relações sexuais desprotegidas e má higiene local.

Tratamento do cisto das glândulas de Bartholin

Os cistos das glândulas de Bartholin, quando não infeccionados, costumam ser assintomáticos, sendo identificados por meio do exame físico. Nesses casos, um ginecologista deve ser procurado para indicar o cuidado mais adequado para o cisto antes que ele infeccione e gere um quadro mais grave e, normalmente, dolorido.

Cistos das glândulas de BartholinTambém pode acontecer dos cistos regredirem espontaneamente em alguns dias, quando forem pequenos e assintomáticos. Por sua vez, o abscesso trata-se de um quadro de infecção, sendo necessário o tratamento médico para melhora dos sintomas, que podem incluir dor intensa na região, calor localizado, saída de pus e vermelhidão.

O indicado é procurar um ginecologista para que seja realizado o diagnóstico correto e, posteriormente, indicado o tratamento mais adequado para cada caso.

Os principais tipos de tratamento são:

  • Uso de antibióticos em casos de infecção;​
  • Uso de anti-inflamatórios e analgésicos para alívio da dor;
  • Realização de banhos de assento entre três a quatro vezes ao dia, com o objetivo de aliviar a dor e eliminar o pus;
  • Drenagem cirúrgica com aplicação de anestesia local, sendo realizada uma incisão no local do cisto. Esse tipo de tratamento é indicado para casos mais graves, em que ocorre infecção local e formação de abscesso;
  • Marsupialização: trata-se de um procedimento cirúrgico no qual é realizada a abertura do cisto e as bordas da lesão são unidas à pele, evitando que novos cistos se formem. É mais indicado em casos de cistos recorrentes;
  • Bartolinectomia: consiste em uma cirurgia para remoção completa da glândula de Bartholin. Indicada quando há reincidência frequente dos cistos e os demais tratamentos instituídos não foram satisfatórios.

A cirurgia, entretanto, deve ser considerada como último recurso, sendo indicada apenas quando há infecção local ou recidiva do cisto.

Em geral, os cistos das glândulas de Bartholin são benignos e facilmente tratados quando realizado o acompanhamento médico adequado. Por tal razão, é imprescindível procurar o ginecologista caso seja identificado alguma protuberância anormal na região da genitália feminina.





Deixe um comentário