Select language



Acompanhamento pré-natal: quais são os exames e quando devo realizá-los

Embora a maioria das famílias saiba que o acompanhamento pré-natal é indispensável para a saúde da gestante e do bebê, ainda há dúvidas com relação aos exames que devem ser solicitados durante esse período para garantir um bom acompanhamento médico.

Além disso, nem sempre as gestantes sabem em quais períodos da gravidez devem ser realizados determinados exames.

Se você encontra-se gestante ou também se questiona acerca desses pontos, leia atentamente este post!

Exames do Pré-Natal:

  1. Hemograma Completo

Este é um dos principais exames a serem realizados durante o período gestacional. Ele avalia a quantidade de células no sangue (glóbulos vermelhos e glóbulos brancos) e pode detectar uma série de alterações, tais como a anemia ou possíveis processos infecciosos.

Este exame deve ser solicitado no inicio do pré-natal, sendo repetido no segundo e no terceiro trimestres da gravidez.

  1. Glicemia

Este exame é responsável pela avaliação da quantidade de açúcar no sangue. Quando o índice se apresenta elevado, porém a paciente não apresenta nenhum histórico de diabetes, o especialista pode concluir que a gestante é portadora de diabetes gestacional.

Este exame deve ser solicitado no inicio do pré-natal, sendo repetido no segundo e no terceiro trimestres da gravidez. Vale lembrar que a curva glicêmica só deverá ser realizada entre 24 a 28 semanas de gestação.

  1. Fator RH e Sistema ABO

Fundamental para indicar a tipagem sanguínea da mãe, esse exame é de extrema importância nos casos em que há necessidade de transfusão de sangue.

Ele é solicitado na primeira consulta médica. Além disso, o fator Rh indica se existe alguma possibilidade de incompatibilidade entre o sangue materno e o sangue fetal.

Quando a mãe apresenta tipagem sanguínea Rh negativo e o bebê apresenta chances de ter tipagem sanguínea Rh positivo, a mãe deverá receber uma injeção profilática de Imunoglobulina anti-Rh entre 28 a 32 semanas de gestação.

Caso a tipagem sanguínea do recém-nascido realmente for Rh positivo (confirmada após o nascimento), a mãe (que apresenta tipagem Rh negativo) deverá receber novamente outra injeção de Imunoglobulina anti-Rh.

  1. HIV e VDRL

Os exames de triagem infecciosa devem ser solicitados na primeira consulta de pré-natal e repetidos a cada três meses. O primeiro exame (anti-HIV) indica se a mãe já entrou em contato com o vírus HIV.

O segundo exame (VDRL) detecta se a mãe é portadora da bactéria que ocasiona a sífilis. Ambos são de fundamental importância, pois, caso a mãe seja portadora de alguma dessas doenças, existem medidas que devem ser implementadas no intuito de diminuir o risco de transmissão congênita dessas doenças para o bebê.

  1. Rubéola, Citomegalovírus e Toxoplasmose

Os exames sanguíneos conseguem identificar a presença de anticorpos no sangue e, consequentemente, avaliar se a paciente já foi exposta e se já está imune a essas doenças.

A rubéola pode ocasionar surdez e cegueira ao bebê. O citomegalovírus pode gerar quadros de anemia, hepatoesplenomegalia, icterícia ou petéquias no corpo do bebê.

Já a toxoplasmose, pode causar malformações no sistema nervoso central do bebê. Estes exames devem ser solicitados no inicio do pré-natal, sendo repetidos no segundo e no terceiro trimestres da gravidez.

  1. Hepatite B e C

A sorologia detecta se a grávida é acometida por alguma destas doenças. Elas podem afetar diretamente o desenvolvimento do feto.

Da mesma forma que os exames anteriores, elas são solicitadas no inicio do pré-natal, sendo repetidas no segundo e no terceiro trimestres da gravidez.

  1. Urina I e urocultura

Estes exames são solicitados no intuito de detectar uma possível infecção urinária. Vale lembrar que durante a gravidez, a paciente pode apresentar quadros de infecção urinária, mesmo sem ter sintomas da doença (bacteriúria assintomática).

Caso a mãe padeça da doença durante a gravidez, ela poderá ter maiores riscos de parto prematuro. Por isso, caso o exame apresente alterações compatíveis com infecção urinária, o tratamento deve ser instituído de maneira precoce. Estes exames são solicitados na primeira consulta e repetidos trimestralmente.

  1. Parasitológico de fezes

Feito no inicio do seguimento pré-natal. Indica se a grávida possui alguma verminose.

  1. Ultrassom

O ultrassom é imprescindível para avaliar o crescimento e o desenvolvimento do bebê durante todas as fases da gestação.

É indispensável realizá-lo no inicio do seguimento pré-natal (ultrassom transvaginal), entre as 11-14º semanas (ultrassom morfológico do primeiro trimestre), 20-24º semanas (ultrassom morfológico do segundo trimestre) e na 32º semana (ultrassom obstétrico com Doppler), aproximadamente.

Deseja saber mais informações sobre o pré-natal? Acesse os demais artigos do site e tire todas as suas dúvidas!





Deixe um comentário